Representantes do Sintrascoop participam de semin√°rio estadual da UGT sobre a Nova Lei Trabalhista


A União Geral dos Trabalhadores do Paraná promoveu na última quarta-feira (13/12), em Curitiba (PR), o Seminário Estadual “Nova Lei Trabalhista: e agora?”. O tema, tão importante para o meio sindical, atraiu a atenção de mais de 300 dirigentes sindicais, advogados, assessores jurídicos sindicais e contadores.

Representando o Sintrascoop, estiveram presentes no seminário o presidente Clair Spanhol, que também representou a Fetracoop, o vice-presidente Adilson Alves Garcia, além dos advogados, Dr. Lucas Eduardo Cereda, Dr. Cauê Röse de Oliveira e a Dra. Larissa Boldrini, o secretário geral Manoel Antonio Lucca, e o secretário de Finanças Carlos Antonio Pimentel.

O seminário realizado pela UGT-PARANÁ teve a co-realização de cinco federações estaduais de trabalhadores: Fetracoop (Federação dos Trabalhadores em Cooperativas no Paraná); Fecep (Federação dos Empregados no Comércio do Paraná); Feeb-PR (Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Paraná); Feaconspar (Federação dos Empregados em Asseio e Conservação do Paraná); e Fesmepar (Federação dos Servidores Públicos do Estado do Paraná).

“A UGT é a maior central sindical paranaense e a segunda no Brasil. A integração das federações filiadas à central no Paraná se multiplica em todo país, mostrando o quanto estamos preparados para enfrentar os devaneios empresariais embutidos nas entrelinhas dessa nefasta Lei trabalhista”, alertou o presidente nacional da UGT, Ricardo Patah, ao abrir o evento. 

Para o presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi, a UGT, está preparada para enfrentar os reveses da nova Lei trabalhista: “porém, ano que vem, iremos cobrar dos parlamentares a equidade em relação ao setor patronal, exigindo que a contribuição  ao Sistema S, a exemplo da contribuição sindical, se torne facultativa, pois de nada adianta enfraquecer a representação laboral, em detrimento dos bilhões de reais que são distribuídos às confederações patronais”, adiantou Rossi.

Os palestrantes e os temas abordados refletem a preocupação da central com os desvios que a nova lei trabalhista causará. Pela manhã a advogada, especialista em Direito Coletivo e assessoria jurídica sindical Cláudia Campas Braga Patah falou sobre “A reforma trabalhista e seus impactos na negociação coletiva de trabalho”; o chefe do Departamento de Relações do Trabalho da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho no Paraná, Luiz Fernando Fávaro Busnardo abordou as “Relações intersindicais com o MTE com a implantação da nova lei trabalhista”. No período da tarde a advogada e consultora trabalhista sindical e ex-secretária nacional de Relações do Trabalho do MT, Zilmara David de Alencar falou sobre “A face sindical da reforma trabalhista”. E para encerrar o seminário o desembargador  do TRT/PR, Cássio Colombo Filho falou sobre os “Aspectos jurídicos da nova Lei trabalhista”.

2017_seminarioreforma_mat01.jpg

2017_seminarioreforma_mat02.jpg

2017_seminarioreforma_mat03.jpg

Fonte: UGT Paraná




Leia também: